A Influência do Brincar no Desenvolvimento das Crianças

“Quando uma criança brinca, joga e finge, está a criar um outro mundo.
Mais rico e mais belo e muito mais repleto de possibilidades e invenções
do que o mundo onde, de facto, vive.”
Chaui (2000)
 
O desenvolvimento humano é um processo contínuo de evolução em vários domínios: físico, cognitivo, linguístico, social e emocional. A sequência desse desenvolvimento é previsível, no entanto, o tempo de aquisição de novas competências pode variar de criança para criança, dada a multiplicidade de factores que lhe estão associados.
Tão fundamental como uma alimentação cuidada e variada para o crescimento harmonioso e saudável da criança, também o brincar é relevante para que a criança atinja um padrão de desenvolvimento equilibrado. Quando brinca, a criança coloca nos brinquedos e na acção tudo aquilo que sente e imagina, fazendo com que o jogo seja visto como um importante meio de integração e desenvolvimento dos aspectos motores, cognitivos, afectivos, sociais e linguísticos. Na verdade, é em grande parte com as brincadeiras que os mais novos aprendem a apropriar-se da realidade exterior ao seu mundo, a significar os outros e as coisas e a aperceber-se das funções e das regras da vida.
No entanto, se até há relativamente pouco tempo, o brincar era desvalorizado e menosprezado, sendo visto e utilizado como uma forma de “ocupar o tempo”, com o evoluir dos tempos verificou-se uma mudança na forma de percepcionar o brincar e da sua importância no processo de desenvolvimento da criança. Actualmente existe uma maior preocupação com a educação das crianças, sendo que pais e educadores são hoje detentores da relevância da brincadeira no processo de desenvolvimento equilibrado das crianças.
Assim, tal como o desenvolvimento das crianças, também a actividade lúdica passa por diferentes etapas durante a primeira infância. As crianças começam por passar muito tempo a explorar e a descobrir, sendo que essas experiências sensório-motoras evoluem desde a manipulação de objectos, para a exploração e construção utilizando esses objectos, para a fantasia e imaginação e, finalmente, para brincadeiras em grupo e jogos de cooperação (Batista, 2009).  
Para além dos benefícios anteriormente referidos, a actividade lúdica permite o desenvolvimento de características tão importantes como a curiosidade, a auto-estima e a autonomia pessoal e social. Através das suas brincadeiras, sozinha ou acompanhada, a criança aprende igualmente a conviver em grupo e a lidar com problemas e emoções negativas, apurando a concentração e atenção sobre tudo o que se está a passar à sua volta. Para além disso, nas suas brincadeiras, a criança tem contacto com outras pessoas, o que promove também a construção de relações interpessoais e a aquisição de competências sociais, onde pratica, por exemplo, a imitação de comportamentos adultos.
Neste sentido, os jogos lúdicos potenciam também nas crianças em idades pré-escolar a aquisição de competências essenciais para as primeiras aprendizagens escolares, como a linguagem, coordenação óculo-motora, equilíbrio e consciência corporal, estruturação espácio-temporal, motricidade fina e global, memória, atenção e concentração, entre outras coisas, contribuindo, assim, para um maior sucesso escolar. Verifica-se que o brincar permite à criança evoluir a nível psicomotor, pois as actividades lúdicas têm a capacidade de alterar a organização do cérebro da criança, devendo estas ser aproveitadas ao máximo uma vez que este é um período crítico do desenvolvimento, devido à plasticidade neuronal existente nos primeiros anos de vida.
O ambiente familiar desempenha também um papel fundamental para o desenvolvimento global da criança, pois é o primeiro meio de socialização e educação que esta possui. É neste ambiente que a criança desperta para a vida como pessoa, onde interioriza valores, atitudes e papéis e onde desenvolve, de forma espontânea, a transmissão de conhecimentos e de cultura. É, então, importante que o adulto brinque e participe nos jogos com a criança, devendo fazê-lo, não somente de um ponto de vista pedagógico, mas como uma actividade natural.
Assim, quando a criança, por algum motivo, necessita de um acompanhamento pedagógico-terapêutico, o brincar deve ser uma estratégia de avaliação e de intervenção à qual se deve recorrer de modo a manter o seu interesse e motivação. Cabe, pois, ao técnico que a acompanha organizar o contexto para permitir as diferentes formas de jogos e seleccionar os materiais mais adequados e seguros, transformando, assim, este processo num espaço de prazer.
A actividade lúdica é, então, uma actividade natural e imprescindível ao ser humano, em que cada criança aprende o que mais ninguém lhe pode ensinar. Compete assim, mais uma vez, ao adulto encontrar estratégias que permitam conciliar o pouco tempo e espaço de que dispõe para estar com as crianças, pois só assim é possível que elas cresçam felizes e mais preparadas para enfrentar o ritmo de vida actual, tornando-se, no futuro, adultos responsáveis e autónomos.

Dr.ª Paula Santos
Técnica Superior de Reabilitação Psicomotora

Centro de Desenvolvimento Infantil ESTÍMULOPRAXIS

História…

O Centro de Desenvolvimento Infantil ESTÍMULOPRAXIS é um projecto organizado por um grupo de técnicos especializados na área do desenvolvimento Infantil.
Reúne um conjunto de serviços que pretendem dar respostas adequadas e o mais precocemente possível às diferentes exigências que acompanham o desenvolvimento do bebé, da criança e do adolescente.
Situado em Telheiras, Lisboa, este centro está direccionado para a criança desde o momento em que nasce. Engloba na sua área de actuação diversas especialidades médicas e terapêuticas que vêm preencher algumas lacunas, existentes na área da saúde em Portugal.
A Educação Especial e a Reabilitação, a Psicomotricidade, a Pediatria, Pediatria do Desenvolvimento, a Cinesiterapia, a Terapia da Fala, a Psicologia, a Psicologia da Gravidez e Maternidade, a Neuropsicologia e a Reabilitação Cognitiva são levadas a cabo por um grupo de trabalho multidisciplinar, que visa a elaboração de programas e metodologias individualizadas, integradas na família, escola e comunidade.
O curso de massagem para bebés, a preparação e a educação para o nascimento e a formação para pais são outros serviços que o centro disponibiliza.

Como surgiu o projecto

A Estimulopraxis surgiu de um projecto pessoal já idealizado há alguns anos.
Num trabalho ligado às perturbações do desenvolvimento, existem factores que todo o técnico idealiza como sendo o melhor em termos de intervenção. Por isso foram traçados objectivos que se puderam concretizar, começando num espaço individual, só com intervenção em Educação Especial e Reabilitação /Psicomotricidade.
Os anos passaram e a necessidade de um trabalho em equipa para uma melhor resposta à criança, família e comunidade foi posto em prática. Com a colaboração da Dra. Isabel Paz o Centro nasceu e teve como nome – ESTÌMULOPRAXIS. Com a colaboração de todos os técnicos a Estímulopraxis cresceu e tem como objectivo responder às expectativas de todos aqueles que nos procuram…

Dra. Sandra Antunes
Directora Técnica